Pesquisar

sábado, 26 de setembro de 2015

Servidores do INSS suspendem greve no Paraná

Os servidores do Instituto Nacional do Seguro Nacional (INSS) suspenderam a greve no Paraná durante assembleias da categoria realizadas ontem em Curitiba e Londrina. Eles devem discutir o retorno do atendimento nas unidades em reuniões com as gerências regionais na próxima segunda-feira. Os sindicatos de outros 14 estados também deliberaram pelo fim da paralisação nacional, que completou ontem 81 dias. 

Apesar do posicionamento da categoria em Curitiba pela continuidade da greve, a maioria dos servidores das outras regiões do Estado votou pela suspensão. No entanto, a diretora do Sindicato dos Servidores Públicos Federais em Saúde, Trabalho, Previdência e Ação Social do Estado do Paraná (Sindprevs), Jaqueline Gusmão, afirmou que a paralisação pode ser retomada, caso o governo federal não cumpra o acordo com assinatura prevista para o início da próxima semana. 

"O que foi deliberado no Estado será encaminhado para a federação nacional, que realiza uma plenária para confirmar a posição dos servidores em todo o País", acrescentou. 

As reuniões entre as entidades e representantes do governo na segunda podem definir a retomada do atendimento a partir de terça-feira e se mutirões serão realizados para atender a demanda de usuários. Ainda existe a possibilidade da reabertura das unidades para o público apenas na quarta-feira, com expediente interno no dia anterior. "Alguns benefícios levam de 60 a 90 dias para serem concluídos. Então, a situação deve ser regularizada apenas no próximo ano", projetou a diretora. 

Pela proposta do governo, os servidores do INSS vão receber aumento salarial de 5,5% em 2016 e de 5% em 2017, totalizando reposição de mais de 10%, apesar da reivindicação de 27% pela categoria. 

Em Londrina, o integrante do comando de greve Ruy Carneiro Giraldes Neto informou que os servidores aguardam a restituição em novembro dos salários descontados, conforme acordo entre as entidades sindicais e o governo. "Outras cinco categorias estavam em greve e apenas os salários dos servidores do INSS foram cortados na região de Londrina e Ponta Grossa. A paralisação não foi considerada ilegal pela Justiça", criticou. 

Em nota enviada à imprensa, o INSS orientou os segurados a entrar em contato com a Central 135 para obter informações sobre os atendimentos antes de se deslocarem até as unidades para evitar transtornos. O instituto prevê que o atendimento será normalizado nos próximos dias. 

Médicos peritos

Apesar da suspensão da greve dos servidores, os médicos peritos do INSS continuam em greve com apenas 30% dos profissionais fazendo perícias, necessárias para benefícios por incapacidade de trabalho. A categoria entrou em greve nacional no último dia 4. A secretária da Associação Nacional dos Médicos Peritos (ANMP), Clarissa Bassin, lembrou que não houve abertura de negociações e nenhuma manifestação do Ministério do Planejamento para atender as reivindicações, entre elas, a reposição de 27% por perdas salariais dos últimos anos.

Rafael Fantin
Reportagem local FolhaWeb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa notícia