Pesquisar

terça-feira, 26 de abril de 2016

São Jerônimo da Serra têm dificuldades para atingir metas na Educação

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-PR) divulgou esta semana um ranking que mede a eficácia da gestão e a eficiência dos investimentos na educação nos 399 municípios paranaenses. O levantamento revela que as grandes cidades enfrentam maiores dificuldades para cumprir as metas estipuladas pelos planos de educação, ponto de partida para elaboração do estudo do TCE, que tem como base o ano de 2014, o último com informações consolidadas em relação ao ensino fundamental. 

De acordo com metas que deveriam ser obtidas com base no Plano Nacional de Educação 2014-2024 (Lei Federal 13.005/14) e no Plano Estadual de Educação 2015-2025 (Lei Estadual 18.492/15), os municípios receberam notas entre 0 e 1, de acordo com o grau de cumprimento das metas. A média estadual é 0,716. 

No Índice de Eficácia da Educação Municipal, os quesitos avaliados foram: educação infantil (percentual de crianças com até 5 anos matriculadas na escola); adequação idade-série (percentual de alunos das séries iniciais do ensino fundamental com idade adequada àquelas séries); ensino integral (percentual de alunos que estudam em tempo integral); qualidade do ensino (nota das séries iniciais do ensino fundamental no Ideb); estrutura das escolas (percentual de estabelecimentos com estrutura física adequada) e formação de professores (percentual de docentes com nível superior).


Porecatu, município de 14 mil habitantes, obteve a melhor pontuação dos municípios da Região Metropolitana de Londrina e a sexta maior do Estado. Com índice de eficácia de 0,907, a rede municipal teve quatro dos seis quesitos avaliados com nota maior que 0,9. A secretária de Educação, Suzana Alves da Silva, ressaltou que há dez anos todos os alunos do município recebem ensino integral. "Atualmente são 1,1 mil alunos que chegam nas escolas às 8 horas e só voltam para a casa às 16 horas. Isso é um ponto que faz a diferença", comentou. 

No entanto, para manter todos os alunos em tempo integral, o município demanda uma grande estrutura, quesito que não acompanhou a média (0,667). "Temos consciência que precisamos melhorar nossa estrutura. Todas as ações que vamos colocando em prática exigem ampliações, compra de aparelhos, o que é muito difícil em tempos de crise, com pouco orçamento." 

Em situação bem diferente está São Jerônimo da Serra, município com 11,5 mil habitantes. Com 0,548 de índice, ocupa apenas o lugar de número 380 no ranking de eficiência. Com exceção da adequação idade por série, todos os outros quesito foram mal avaliados. O secretário de Educação, Wellington André Jaouiche, expôs a total falta de estrutura disponível no município. "Não temos vagas em escolas na cidade. Das duas existentes, uma é compartilhada com o Estado e outra funciona em um prédio improvisado." 



FolhaWeb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa notícia