Pesquisar

sábado, 23 de julho de 2016

Sem médico ortopedista na rede pública, idoso agoniza na cama com braço quebrado e perna amputada

Foto: Odair Matias
» O drama de Dona Nelza Serefonte, moradora na rua Prof. João Candido Ferreira, nº 543, Vila América, emocionou muitos ouvintes do programa 104 Notícias/20h
"Em Cornélio Procópio, a maior cidade do Norte Pioneiro - PR, não tem médico ortopedista para atendimento público para a situação de emergência? É difícil de aceitar!   

O drama de Dona Nelza  Serefonte, moradora na rua Prof. João Candido Ferreira, nº 543, Vila América,  emocionou muitos ouvintes do programa 104 Notícias/20h. Em entrevista veiculada na terça feira,20, ela detalha o sofrimento de sua família com o descaso no atendimento em relação a saúde do município.  

Seu marido, Sr. Ronaldo Chacão Serefonte, conhecido trabalhador procopense, está jogado na cama, sem poder se mexer,  sofrendo com as dores do ombro quebrado, com a perna amputada e sem qualquer esperança de atendimento.

Sr. Ronaldo sofreu no passado com um caso grave de trombose que,  por falta de atendimento adequado da rede pública, teve a perna amputada. Naquela oportunidade, a família vendeu posses empenhou recursos com financiamentos comprometendo drasticamente sua situação financeira para socorrer o paciente .

Dona Nelza, disse que foi ajudada pela população da cidade. Depois de muito sofrimento ela conseguiu, através de doações,  comprar um veículo apropriado para seu marido se locomover e voltar para a vida.

Na última quinta feira,14, o idoso sofreu um acidente no centro da cidade e quebrou o ombro. Levado pelo SAMU para o pronto socorro da Santa  Casa, lá lhe informaram que o hospital não conta com médico ortopedista. "Tiraram RX, verificaram a fratura, receitaram dipirona e o mandaram para casa",  informou.

Com a nova fratura, o drama da família do Sr Ronaldo,  recomeçou e sua esposa reporta que já está sem forças para passar por todo o sofrimento de novo. "Sequer ambulância para levá-lo no médico consegui da prefeitura." Os ouvintes questionam a omissão de socorro da rede pública e da Santa Casa; "A maior cidade do Norte Pioneiro(Cornélio Procópio) não tem médico ortopedista para atendimento  público emergencial ? É difícil de aceitar!  

Enquanto aqueles que deveriam resolver a  grave situação do Sr Ronaldo, apostam no esquecimento e falta de memória da população, esta família não tem recursos e condições sequer para prover alimentos e quitar a conta de água e luz, há meses vencidas.

Fonte: Odair Matias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa notícia