Pesquisar

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

SUS começa a oferecer vacina contra catapora

vacina (Foto: Shutterstock)A partir desta segunda (2), a vacina tetraviral, que oferece proteção contra sarampo, caxumba, rubéola e varicela (catapora), passa a ser oferecida gratuitamente em todo o país pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O público-alvo é formado por crianças de 15 meses que já tenham tomado a primeira dose da tríplice viral, que protegia contra sarampo, caxumba e rubéola.

Vale lembrar que a vacina contra a varicela não garante que a criança desenvolva a catapora ao longo da vida. No entanto, se isso acontecer, será um quadro mais leve. O Ministério da Saúde estima uma redução de 80% das hospitalizações pela doença.

“Com apenas uma injeção, o Brasil vai poder proteger as crianças contra quatro tipos de doenças. Hoje, temos dados que mostram que quase nove mil pessoas são internadas por ano pela varicela e temos mais de 100 óbitos. Além disso, facilita o trabalho dos profissionais e traz economia, pois usa-se apenas uma agulha, uma seringa, um único local de conservação”, disse em nota o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

O Ministério da Saúde ressalta que alguns municípios ainda estão adequando a rotina à nova vacina e, por isso, vale checar no posto de saúde mais próximo se a tetraviral já está disponível. A previsão é de que todas as 34 mil salas de vacinação distribuídas pelo país tenham as doses até o fim do mês de setembro.

Não haverá campanha de vacinação, já que a vacina será disponibilizada na rotina dos serviços públicos em substituição à segunda dose da tríplice viral.

Entenda a catapora

A catapora (ou varicela), altamente contagiosa, atinge, principalmente, crianças de 1 a 6 anos de idade. A transmissão acontece por contato e por via respiratória. Ambientes pouco ventilados, creches e escolas são propícios para a disseminação do vírus. Por conta disso, a melhor forma de prevenir o seu filho é por meio da vacinação.

Febre alta (acima de 38°C) e manchas avermelhadas pelo corpo são os primeiros sinais. Logo, formam-se pequenas bolhas que se rompem e viram feridas. Durante cerca de três dias, as bolhas surgem por levas: enquanto umas secam outras nascem no corpo da criança. As bolhas podem aparecer também nas mucosas: na boca, na conjuntiva, na área genital.

Durante essa fase, há risco de transmissão. Por isso, se você tem mais de uma criança em casa e um de seus filhos pegou a doença, leve-os ao pediatra e evite que durmam no mesmo quarto. Objetos pessoais devem ficar separados para evitar o contágio. Somente após de 5 a 7 dias, as últimas bolhas secam, formando crostas.

A catapora não oferece grandes riscos, mas como as bolhas coçam, é preciso evitar que a criança crie um machucado em cima delas para não haver inflamação local e cicatriz. Não há medicamento específico, a não ser aqueles para combater os sintomas, como a febre e a coceira.

Abaixo, dicas fundamentais para evitar complicações:

- Corte sempre as unhas do seu filho e deixe-as limpas;
- Evite que ele tenha contato com pessoas com baixa capacidade de defesa;
- Coloque roupas leves, para evitar calor e aliviar as coceiras;
- Tente fazer com que seu filho repouse, principalmente enquanto tiver febre;
- Ofereça alimentos leves e muito líquido.

Fonte: A Saúde de Nossos Filhos, Hospital Israelita Albert Einstein

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa notícia