Pesquisar

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Assentados que fazem parte da Cooperativa (Coanop), vão poder contar com R$ 5,5 milhões disponibilizados pelo (BNDES)

Os recursos serão utilizados para atividades de classificação, padronização, seleção eletrônica e beneficiamento de café. A cooperativa é formada por 759 famílias de trabalhadores assentados.
A agroindústria já está operando de forma parcial, com capacidade de beneficiamento de até 280 sacas de café por turno, e tem estocado cerca de nove mil sacas do café em coco - fase que antecede a torrefação e a moagem. "Todo café sai daqui classificado, com mais de 90 variedades analisadas em nosso próprio laboratório", diz o diretor da Coanop, Rodrigo Casado. A renda obtida com o plantio de café, por cada família assentada, pode chegar a R$ 7 mil por hectare/ano.
Com 56 funcionários, a Coanop tem planos de expansão para implantar processos de moagem, torrefação e empacotamento do café, encaminhados ao Programa de Agroindustrialização em Assentamentos da Reforma Agrária, Terra Forte, do Governo Federal. Na primeira etapa, foram pré-selecionadas 139 propostas, com investimento previsto de R$ 679 milhões. Participaram com apresentação de pré-projetos 1.084 assentamentos, envolvendo 130.713 famílias assentadas em todas as regiões brasileiras.
A produção de café que alimenta a Coanop é proveniente de 25 projetos de assentamento da região do entorno da Coanop, criados pelo Incra em sete municípios – São Jerônimo da Serra, Congonhinhas, Sapopema, Ibaiti, Figueira, Ribeirão do Pinhal e Bandeirantes.
Para o superintendente do Incra/PR, Nilton Bezerra Guedes, a Coanop é a mais moderna agroindústria de café da região e terá um papel estratégico no desenvolvimento dos assentamentos do Norte Pioneiro. "Essa é uma iniciativa que mostra a força da reforma agrária no Paraná e a capacidade organizativa dos assentados, com um caráter associativista e de grande impacto social e econômico", diz o superintendente.

Fonte: Agrolink

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa notícia