Pesquisar

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Ex-secretário é preso em Uraí acusado de corrupção

O ex-secretário de Obras de Uraí (Região Metropolitana de Londrina) Bruno César Miranda está preso preventivamente na delegacia da cidade acusado de corrupção e associação criminosa. Segundo investigações do Ministério Público (MP) do Paraná, na Operação Cascalho, o ex-secretário teria cobrado indevidamente dos produtores rurais por serviços realizados nas propriedades com a utilização de maquinário público. Miranda foi preso na terça-feira. 

O promotor de Justiça de Uraí, José Roberto Manchini, identificou 20 casos em que o ex-secretário teria cometido as irregularidades, embolsando aproximadamente R$ 15 mil que deveriam ter sido pagos à prefeitura. "O valor da propina pode até não ser tão alto, mas é uma prática que não poderíamos permitir que continuasse na cidade." 

Conforme a legislação de Uraí, os produtores podem requisitar o serviço de manutenção dos carreadores mediante recolhimento de taxa aos cofres públicos. A tabela prevê o valor de R$ 50 por hora/máquina. O promotor afirmou que o pedido de prisão foi baseado na eventual interferência de Miranda na coleta de provas, pois outras pessoas também são investigadas. 

O advogado de Bruno Miranda, Sérgio Wagner de Oliveira, negou as irregularidades e criticou a prisão. "Meu cliente sequer foi ouvido na investigação." De acordo com Oliveira, os pagamentos eram feitos pelos produtores rurais como gratificação pelo serviço prestado. "Havia o pagamento do boleto normalmente, como compensação pelo uso da máquina, mas os produtores também pagavam espontaneamente os funcionários que iam fazer o trabalho, até porque a jornada deles é muito grande, sem hora extra." O conserto dos carreadores era feito sempre aos finais de semana. 

O advogado disse que Miranda chegou a receber de alguns proprietários rurais, mas "não ficou com o dinheiro e apenas repassou aos funcionários". 

AGITAÇÃO POLÍTICA 

O ambiente político em Uraí está conturbado. Além da prisão do ex-secretário, que ficou no cargo de janeiro a abril, a Câmara de Vereadores se prepara para votar pedido de abertura de Comissão Processante (CP) contra o prefeito Sérgio Pitão (PSC). Segundo a denúncia, ele teria feito contratação irregular de serviço de transporte de pacientes para atendimento médico. Em entrevista anterior ele alegou "retaliação política". Ontem ele não atendeu as ligações. 

O presidente da Câmara, Adilson Mata (PR), informou que a Casa chegou a receber pedido de investigação contra Pitão em razão das supostas cobranças feitas pelo ex-secretário Bruno Miranda, "mas não contemplava as exigências formais de uma infração político-administrativa e não foi aceita".
Edson Ferreira
Reportagem Local FolhaWeb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa notícia