Pesquisar

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Estado dará suporte a municípios para combate à dengue

O secretário estadual de Saúde, Michele Caputo Neto, afirmou nesta terça-feira (15/01) que o governo vai dar todo o suporte possível para ações de enfrentamento da dengue nos municípios paranaenses. O objetivo é garantir inclusive apoio financeiro emergencial a 30 cidades em situação mais crítica num primeiro momento, e expandir a iniciativa para os demais municípios do Estado.
Dos 667 casos de dengue confirmados no Paraná até o momento, 488 (73%) foram registrados nos quatro municípios atualmente em situação de epidemia: Peabiru, São Carlos do Ivaí, Fênix e Japurá, além do município de Paranavaí, que já está em estado crítico para a doença, mas ainda não em epidemia.
Os números foram divulgados durante uma videoconferência com mais de 300 prefeitos e secretários municipais de saúde, quando foi apresentado um balanço dos casos de dengue no Paraná no período epidemiológico iniciado em agosto de 2012. “Com a introdução do tipo 4 do vírus da dengue no Paraná, o aumento gradativo dos casos e as condições climáticas favoráveis para a proliferação do mosquito, alertamos que a situação é muito preocupante”, explicou Caputo Neto.
De acordo com o superintendente de Vigilância em Saúde do Estado, Sezifredo Paz, o principal objetivo deve ser o de evitar mortes. Segundo ele, com o registro da circulação dos quatro sorotipos do vírus, o Paraná tem um novo panorama de enfrentamento da dengue. “Todas as pessoas devem ter conhecimento dos sintomas característicos da doença, como febre alta, dor de cabeça, dor no corpo e vômito. Em caso de suspeita de dengue, a pessoa deve ser encaminhada imediatamente a um serviço de saúde”, reforçou.
A Secretaria de Estado da Saúde informou que toda a população está suscetível ao sorotipo 4 da doença, o que facilita a disseminação da dengue em municípios com altos índices de infestação. Além disso, aumenta o risco de ocorrência de casos graves, como a febre hemorrágica por dengue ou dengue com complicação. “Os profissionais de saúde devem se manter atentos e preparados para identificar e tratar casos suspeitos”, disse Caputo Neto.
TESTE - A implantação do teste rápido da dengue em Peabiru, São Carlos do Ivaí e Foz do Iguaçu agilizou o diagnóstico precoce da doença em diversas situações. A nova metodologia possibilita que casos sejam detectados após os primeiros sintomas de dengue.
Segundo o prefeito de Peabiru, Claudinei Minchio, que participou da videoconferência, o município vive uma situação de calamidade pública. Foram 186 casos confirmados até agora e 1.114 notificados como suspeitos.
O pronto socorro municipal chegou a atender diariamente em torno de 200 pessoas com sintomas de dengue. “Nossa cidade já passou por duas epidemias nos últimos cinco anos e por sorotipos diferentes do vírus. Estamos nas ruas para combater o mosquito de frente, inclusive com a ajuda de agentes dos municípios vizinhos”, ressaltou.
MORTES – Em Peabiru, uma morte por dengue hemorrágica segue em investigação. Amostras foram coletas e enviadas para análise no Laboratório Central do Estado que deve emitir um laudo confirmatório até quarta-feira (16). Recentemente foi divulgado um óbito suspeito em Cambará, mas o caso foi descartado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa notícia