Pesquisar

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Faculdades Dom Bosco e Faccrei são excluídas do Prouni


O Ministério da Educação (MEC) desvinculou 266 mantenedoras de instituições do ensino superior do Programa Universidade para Todos (ProUni) por não comprovação de regularidade fiscal. Essas entidades são responsáveis pela administração de 330 instituições particulares. A decisão foi publicada nesta segunda-feira, 20, no Diário Oficial da União. Segundo o MEC, não haverá prejuízos aos estudantes, que terão a matrícula preservada pelas mantenedoras. Entre as descredenciadas estão a mantenedora da Faculdade Maringá (Centro de Ensino Superior do Paraná - Cespar) e a Sociedade de Ensino Superior de Astorga, além de outras 9 mantenedoras de instituições de ensino superior no Paraná.

"O ProUni é um grande programa de inclusão de estudantes carentes. Por isso, é doloroso para o MEC tomar essa decisão, mas é indispensável", afirmou o ministro Aloizio Mercadante. "Precisamos ser rigorosos com as bolsas do ProUni e do Fies (Fundo de Assistência Estudantil)."

Como não apresentaram a quitação de tributos e contribuições federais em 2012, essas mantenedoras não puderam participar do processo de adesão ao ProUni neste primeiro semestre. Com isso, deixaram de oferecer cerca de 20 mil vagas, segundo o Ministério. 

Ao final de cada ano, as mantenedoras devem apresentar a quitação de tributos e contribuições federais administrados pela Secretaria da Receita Federal, sob pena de desvinculação do programa, como prevê a Lei nº 11.128, de 28 de junho de 2005. A exigência foi dispensada por lei até 2012, ano de criação do Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento das Instituições de Ensino Superior (Proies).

O Proies estabeleceu critérios para que as instituições particulares renegociassem as dívidas tributárias com o governo federal. Elas poderiam converter até 90% das dívidas em oferta de bolsas de estudos ao longo de 15 anos e, assim, reduzir o pagamento a 10% do total devido. As mantenedoras desvinculadas poderão recorrer da decisão em até cinco dias. Elas também podem pedir nova adesão se comprovarem a quitação de tributos e contribuições federais administrados pela Receita Federal.
Veja as instituições descredenciadas no Paraná:
1 - Associação do Colégio Nossa Senhora de Sion
2 - Associação Procopense de Ensino Superior (Apes)
3 - Centro Educacional de Castro (Ceduc)
4 - Centro Educacional de Ensino Superior de Cornélio Procópio (Faculdade Dom Bosco)
5 - Centro de Ensino Superior do Paraná (Cespar)
6 - Sociedade de Ensino Superior (Astorga)
7 - Sociedade de Ensino e Pesquisa de Cornélio Procópio (Faccrei)
8 - Sociedade Civil Educacional Tuiuti
9 - Sociedade Paranaense de Ensino e Informática (Spei)
10 - Sociedade Paranaense de Ensino e Tecnologia
11 - União Norte Paranaense de Ensino (Uninorte)

Inclusão

Até o dia 6 de junho, as instituições particulares de educação superior interessadas em participar do ProUni devem emitir um "termo de adesão", por meio da entidade mantenedora. O procedimento deve ser feito pela internet, no Sistema Informatizado do ProUni (SisProuni).

As mantenedoras das instituições já participantes do programa devem emitir o termo aditivo ao processo seletivo do segundo semestre deste ano, também por meio do SisProuni.
O Diario

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa notícia