Pesquisar

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Equipes da Operação Verão não recebem diárias

Mais de 300 policiais militares e 500 bombeiros que atuam desde o início da Operação Verão 2014/2015 ficaram sem receber as diárias no valor de R$ 180 destinadas ao pagamento de hospedagem e alimentação por 20 dias. A informação foi confirmada ontem pela Associação dos Praças do Estado do Paraná (Apra-PR) e União dos Praças do Corpo de Bombeiros (UPCB-PR). As entidades, inclusive, ameaçaram entrar com medidas judiciais contra o Governo do Estado por causa do atraso. O valor da dívida gira em torno dos R$ 145 mil. 

Os servidores deslocados para atuar no Litoral desde o dia 14 de dezembro do ano passado ficam em hotéis, pousadas ou em casas alugadas porque não há vagas nos quartéis e batalhões da região. E, segundo o presidente da Apra-PR, Orélio Fontana, alguns dos policiais e bombeiros já tinham sido avisados da possibilidade de despejo por conta do atraso do aluguel. "É uma situação constrangedora. Os servidores se prontificam em se deslocar para auxiliar na Operação Verão e passam por este constrangimento. Nenhum profissional vai deixar de cumprir com seus deveres mas eles merecem o mínimo de respeito, o que não vem acontecendo. Alguns inclusive estão tendo que pagar do próprio bolso", ressaltou. 

Ainda conforme o órgão, o Estado já tinha se comprometido a quitar os atrasos em outras três oportunidades: 5, 11 e 16 de janeiro. A Secretaria da Segurança Pública (Sesp) informou por meio de nota oficial que já autorizou a Secretaria da Fazenda a pagar as diárias dos servidores que estão atuando na Operação Verão Paraná 2014/2015. A pasta reforçou que já foi encaminhado ofício para regularização da situação junto à Secretaria da Fazenda, e que o pagamento deve ser feito nos próximos dias. A reportagem entrou em contato com a assessoria da Fazenda, que informou que ainda está sendo analisada a forma como o pagamento será realizado aos policiais e bombeiros.
Rubens Chueire Jr.
Reportagem Local

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa notícia