Pesquisar

quarta-feira, 19 de junho de 2013

17 mil confirmam presença em novo ato em Londrina

Após ser surpreendida pela maior manifestação popular em quase 20 anos, Londrina deve abrigar um ato público ainda maior na tarde do próximo sábado. De acordo com o perfil Mobilização Nacional em Prol de Melhorias no Brasil, do Facebook, cerca de 17 mil pessoas confirmaram presença no protesto, que segundo o texto de apresentação do grupo "é uma manifestação pacífica não associada a nenhum partido político". Na página, não há qualquer referência ao trajeto da passeata. É informado apenas que a concentração começa às 14 horas em frente ao Teatro Ouro Verde, no Calçadão. 

Na primeira manifestação, anteontem, os organizadores estimaram que as causas diversas encampadas pelo movimento atraíram cerca de 8 mil pessoas, que percorreram o Calçadão e as avenidas Higienópolis, Madre Leônia e Ayrton Senna. A Polícia Militar estimou que no Calçadão se concentraram cerca de 4 mil pessoas. Na ocasião, cerca de 11 mil internautas haviam prometido participar do evento. 

A Polícia Militar deve acompanhar a passeata de sábado à distância, como ocorreu na segunda-feira. O objetivo é que a multidão não se sinta vigiada. Nenhum caso de vandalismo ou de violência foi registrado na noite de segunda-feira, informou o capitão Nelson Villa, porta-voz da PM. "Gostaríamos de parabenizar os manifestantes. Foi uma aula de democracia", afirmou. Na página da rede social, há relatos de que um participante foi vaiado ao tentar pichar uma agência bancária. 

Ontem, a mobilização na internet continuava crescente, com adesões a cada minuto. A maior preocupação de quem comentava os preparativos para o segundo protesto era quanto ao uso de bandeiras de partidos políticos. Todos eram contra e ressaltavam o caráter suprapartidário da iniciativa. Além do tema transporte coletivo, havia muitas menções de repúdio à PEC 37, que suprime o poder de investigação do Ministério Público. Em Londrina, a tarifa passou de R$ 2,45 para passou para R$ 2,35 após a isenção de impostos anunciada pelo governo federal. 

A Frente de Luta pelo Transporte Público de Curitiba, movimento que organiza as mobilizações realizadas na capital, confirmou um novo ato para amanhã. A concentração será na Boca Maldita, no centro, a partir das 18 horas. "Enquanto não baixarem o valor da passagem de ônibus ou não nos chamarem para discutirmos alguma proposta, vamos continuar com a mobilização", ressaltou Letícia Camargo, gestora ambiental e ativista da Frente. Ela também é coordenadora da Rede Sustentabilidade no Paraná, movimento político liderado pela ex-senadora Marina Silva. 

O governador Beto Richa (PSDB) afirmou que a invasão ao Palácio Iguaçu, ocorrida no fim da manifestação de segunda-feira, foi um ato praticado por "poucos baderneiros". "Os próprios manifestantes, pessoas de bem, repudiaram a atitude desses baderneiros", declarou. 

Em Maringá, o protesto ocorreu ontem. Quando a multidão passava pela Avenida Papa João XXIII, um grupo de 300 manifestantes se dirigiu à Câmara de Vereadores e ocupou as galerias. Segundo o presidente da Casa, Ulisses Maia (PP), o movimento foi pacífico. "Eu mesmo determinei que tivessem entrada livre, pois a Câmara está à disposição da população. Dei a palavra a eles e tudo ocorreu bem." Depois de quatro pronunciamentos os manifestantes deixaram o local e seguiram em marcha pelas principais ruas e avenidas da cidade. (Colaboraram Edson Ferreira, Mariana Franco Ramos e Rubens Chueire Jr.)

FolhaWeb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário sobre essa notícia